[Dúvida] Como sensibilizar o time e levar a famosa cultura de qualidade?

Topic created · 5 Posts · 38 Visualizações
  • Essa é minha maior dúvida. Como e por onde começar.

  • Estou enfrentando isso no momento, embora hoje vi uma palestra no QAX 2020, onde o cara entrou em uma empresa na Ágil. Resumindo o que ele falou (isso levando em consideração o cenário da empresa naquele momento) ele em tudo que podia ele tentava colocar ágil no meio, começou com conversas com gestores sobre uso do Git por exemplo, falou que conversou com outros QAs na empresa para que ele pudessem montar um quadro de atividades usando ferramentas similares ao trello onde daria visibilidade aos gestores e demais do time. Começou a colocar automação nos testes dele e foi mostrando os resultados obtidos para os gestores. Ele disse que o uso do Git por exemplo eles não deixaram utilizar - por algum motivo, mas começaram a automatizar os testes - o que foi um ponto positivo na empreitada dele com QA na empresa.

    Particularmente onde eu atuo, é um cenário bem complicado também. O time embora individualmente são pessoas muito boas naquilo que fazem, mas juntas é complicado dar “liga”. Eu to praticamente há um ano batendo em teclas do tipo: vamos fazer pelo menos entregas contínuas, reuniões diárias e uma reunião de lições aprendidas - mas é complicado. Hoje eu estou tentando outra abordagem, estou tentando sensibilizar os Gestores primeiro para depois ir descendo.

  • Eu diria que não existe uma receita pronta pra isso. Cada ambiente vai necessitar de alguma coisa em especial. A única coisa que é regra é a vontade e abertura das pessoas para aceitar a cultura de qualidade. Na minha humilde opinião, este vai ser o maior problema.
    Explicando o pq: quando se fala em cultura de qualidade, esta sendo afetado a cultura de fato e para isso vc necessariamente vai ter que criar algum indicador (conforme o Tiago Torres mencionou) e isso vai começar a expor problemas. E ai é que mora o perigo. Tem que ter um tato muito bom em como esses dados vão ser expostos (principalmente para gerencia/diretoria da empresa, pq tu pode colocar muitas pessoas em cheque e pode ser que uma delas seja alguém estratégico para a empresa).
    No atual empresa em que trabalho, comecei a fazer levantamentos simples, como lifetime de um bug, quantidade de bugs por release, mapear causa raiz. trouxe bastante resultado e expos problemas sem apontar dedos para pessoas.
    Porém, meu segundo passo não deu muito certo, que foi trazer para os projetos da empresa o Sonarqube. Esse sim começou a apontar causadores de problemas e não tive muito apoio dos devs, mesmo que meus gerentes apoiassem a ideia.
    Acho que um bom caminho com teu time/empresa é trazer uma dinâmica perguntando o que é qualidade para cada um deles? e deixar o time expor o que eles acham. Feito isso, de uma maneira mais democrática, tu pode começar a abrir portas com o apoio do próprio time.

    espero ter ajudado um pouco.
    forte abraço

  • Acredito que precisamos montar frentes estratégicas:

    01º Métricas (Medir)
    Toda comunicação acompanhada de números é um facilitador. Exemplo: Número de bugs especificamente de serviço antes e depois da automação.

    02º Em reunião com time, destacar itens que funcionaram e colher feedback (Envolvimento)
    Mudanças estruturais na maioria das vezes são lentas. As pessoas tem ideias o tempo inteiro, logo a dificuldade de filtrar e também a burocracia para executa-las de forma a atender a todos, e pensando nisso eu tento experimentar ideias com pessoas do time que compartilham do mesmo pensamento e tem disponibilidade.
    Exemplo: Combinar com um Dev um trabalho pareado em uma nova implementação, ou seja, especificarmos juntos, atuar no teste do frontend ou backend de forma isolada … Depois apresentar na reunião os resultados que tivemos, pontos positivos e negativos e perguntar se o restante do time tem interesse em fazer e em paralelo pensarmos em uma forma de adotar dentro do processo de homologação.

    03º Ser exemplo (Minha parte)
    Não há nada mais ágil que buscar resolver os conflitos/pendências conversando e alto desempenho técnico. Então o nosso comportamento também é fator de mudança, estudar e buscar soluções continuamente e ser um agente que une as pessoas tornando os processos mais ágeis.

    04º Capacitação Time (Time)
    A mudança de mindset consome tempo e de início pode parecer apenas que estão sendo agregadas mais atividades ao tempo escasso do dia a dia e pode se não tiver bem sincronizado pode ser motivo de insucesso. E de fato há um aumento de atividades, só que uma grande atividade bem distribuída é muito mais fácil de ser cumprida, ou seja, precisamos fracionar ideias e etapas. E para fracionar, antes talvez seja preciso capacitar. Exemplo: O time que sabe automatizar, assumir os testes manuais para permitir as outras pessoas terem tempo para aprender e com isso gerar um time mais forte e unido a longo prazo.

    05º Melhoria Continua (Mudanças vivas)
    Utilize as métricas do “item 1” não só para argumentar com o time, mas também repensar nossas próprias ideias de melhoria, as vezes a gente imagina processos que geram pouco ou nenhuma melhoria, talvez porque não é relevante ou porque a aplicação não foi adequada.

  • @Tiago-Torres quis dizer empresa nada Ágil.