Quarta parte da séria de postagens de dicas de automação abordando o tema: Padronização da Automação

Dando sequência a essa série de postagens, após ter:

Escolhido as ferramentas de automação e integração contínua
(http://www.matera.com/br/2016/04/13/automacao-de-teste-de-software-parte-1-definicao-de-ferramentas/)
Definido o ambiente de teste
(http://www.matera.com/br/2016/05/10/automacao-de-teste-de-software-parte-2-definicao-do-ambiente-de-teste/)
Priorizado o backlog de automação (http://www.matera.com/br/2016/07/29/automacao-de-teste-de-software-parte-3-priorizacao-do-backlog/)

O próximo passo abordado será:
Padronização da Automação

A ideia central por trás de padronização de testes automáticos é a definição de padrões ou estruturas que servem de modelo ou referência para construção de testes.

Leia mais em: http://www.matera.com/br/2016/08/31/automacao-de-teste-de-software-parte-4-padronizacao/